Type the keyword or SKU

Close

Os 4Cs dos Diamantes (Como classificar os Diamantes)

By : ariajerusalem 0 Comments

A GIA (Instituto gemologico da América), que é uma instituição americana sem fins lucrativos e autoridade mundial em diamantes, pedras coloridas e pérolas criou, na década de 1940, os “4Cs” e o Sistema internacional de classificação de Diamantes ™ – até hoje, o padrão mundial para avaliar a qualidade dos diamantes.

De forma geral, os 4Cs correspondem a: cor, clareza, corte e peso do quilate (carate). Através deste método universal é possível estabelecer a qualidade de qualquer diamante, em qualquer lugar do mundo.

Os 4Cs de um diamante:

1 – Cor (Color)

2 – Claridade (Clarity)

3 – Corte (Cut)

4 – Peso do quilate (Carat Weight)

1. COR DO DIAMANTE

Os diamantes podem ser totalmente incolores ou podem ter tons de amarelo e marrom. Os mais valorizados são os incolores, ou seja, quanto menos cor, maior o seu valor.

Estão fora deste conceito os diamantes de cores extravagantes, como rosas e azuis, por exemplo.

Como vimos, a GIA definiu uma escala de classificação de cores para os diamantes. Essa escala é mundialmente reconhecida e utilizada como padrão na indústria.

A escala começa com a letra D que representa o totalmente incolor. Ela continua de forma crescente até a letra Z, contendo tons de amarelo claro ou marrom.

Cada grau de letra tem uma gama claramente definida de aparência de cor. Muitas dessas distinções de cores são tão sutis que são invisíveis ao olho destreinado. Mas essas pequenas diferenças fazem uma grande diferença na qualidade e preço do diamante.

Para facilitar a utilização dessa escala aqui no Brasil, a ABNT e o IBGM utilizam as definições em português, conforme a imagem a seguir.

2. CLARIDADE DO DIAMANTE 

O grau de clareza é baseado em qualquer inclusão natural (pontos escuros) encontrados dentro de um diamante.

Os diamantes possuem marcas únicas que podem ser internas, chamadas de inclusões ou externas, conhecidas como manchas. Isso ocorre pois o diamantes são formados com extrema pressão e calor.

A clareza de um diamante diz respeito à ausência dessas inclusões e manchas, também pode ser denominada como pureza. Os diamantes sem essas marcas são bem raros e a raridade afeta o seu valor.

Todo diamante é único e especial, Nenhum é absolutamente perfeito com ampliação de 10x, embora alguns se aproximem a essa perfeição e são conhecidos como “Flawless”, sendo os mesmo extremamente raros.

Assim como com a cor, no Sistema Internacional de Classificação de Diamantes da GIA ™, são atribuídos aos diamantes um grau de clareza que varia de impecável (FL) a diamantes com inclusões óbvias.

A Escala de Clareza do GIA contém 11 graus, com a maioria dos diamantes caindo nas categorias VS (muito ligeiramente incluída) ou SI (ligeiramente incluída).

Ao determinar um grau de clareza, o sistema GIA considera o tamanho, a natureza, a posição, a cor ou o relevo e, além disso, a quantidade de características de claridade visíveis sob uma ampliação de 10x.

3. CORTE DO DIAMANTE

O corte de qualidade permite um diamante expressar o seu brilho natural e cintilação.

Corte refere-se à qualidade de proporções e simetria de um diamante. Estes ângulos permitem que o diamante capture a luz e a reflita, produzindo brilho. Se o pavilhão de um diamante é muito profundo, o centro será visivelmente mais escuro.

Os diamantes são famosos por sua capacidade de transmitir luz e brilho intensos. E o grau de corte de um diamante é analisado sobre o quanto bem as facetas dele interagem com a luz 

A lapidação é uma arte. Corte e acabamento precisos são necessários para moldar uma pedra de modo que suas proporções, simetria e polimento proporcionem o magnífico retorno de luz possível apenas em um diamante.

O corte de um diamante é crucial para a beleza e valor final da pedra. E de todos os 4Cs, o corte é o mais complexo e tecnicamente difícil de ser analisado.

Como o corte redondo é o mais utilizado na jóias, a GIA utiliza este como padrão. Ela usa as facetas para determinar as proporções e avaliar a aparência de face para cima e o quanto o diamante interage com a luz. Essa interação gera efeitos visuais como:

Brilho: luz branca interna e externa refletida de um diamante.

Fogo: a dispersão da luz branca em todas as cores do arco-íris.

Cintilação: a quantidade de brilho que um diamante produz e o padrão de áreas claras e escuras causadas por reflexos dentro do diamante.

O grau de corte de diamante da GIA também leva em consideração o design e o acabamento do diamante, incluindo seu peso em relação ao diâmetro, sua espessura (que afeta sua durabilidade), a simetria do arranjo das facetas e a qualidade do polimento nessas facetas.

A Escala de Corte de Diamantes da GIA (padrão redondo) contém 5 classes que variam de Excelente a Ruim.

Quanto melhor o corte, lapidação, simetria e polimento do diamante, melhor o retorno de luz e por sua vez, maior seu valor.

4. QUILATE (CARAT WEIGHT) DO DIAMANTE 

Os diamantes são medidos ou pesados em “quilates”, o equivalente a 200 miligramas. A precisão na pesagem de um diamante é tal que um diamante é pesado a um milésimo (.001) de um quilate e, em seguida, arredondado para o centésimo mais próximo.

Normalmente, utilizamos o peso para comprar muitos tipos de produtos, então, a percepção geral é que um diamante maior é mais valioso do que um menor.

Entretanto, nem sempre um diamante de 2,00 quilates vale o dobro que um diamante de 1,00 quilate, pois os maiores são mais raros e muito mais valiosos. Mas o valor de um diamante é determinado considerando todos os 4Cs de qualidade do diamante 

Um diamante bruto sem cortes geralmente é muito mais pesado que o diamante cortado. Por exemplo, um diamante geralmente perde 50%-60% de seu peso antes de alcançar sua versão final e polida. A mesma pedra da mesma qualidade será mais cara se pesar mais quilates. Também é importante notar que os preços dos diamantes aumentam com um efeito dominó ao serem mais pesados em quilates, já que eles se tornam mais e mais desproporcionalmente difíceis de achar.

É pelo motivo descrito acima que os diamantes são examinados por uma série de profissionais antes de que o dono (que também é um expert na área) finalmente decida qual é a melhor opção em termos de que formato ele terá, já que outros fatores relacionados à sua qualidade precisam ser considerados.

Fatores importantes para a escolha da Pedra Preciosa adequada 

Diamantes são pedras preciosas naturais e como já se dizem a muitos anos “são os melhores amigos das mulheres”, se tornando, portanto, uma das melhores escolhas para presenteá-las em qualquer ocasião. 

O investimento de um pouco de seu tempo para se aprofundar e entender um pouco sobre o “mundo fantástico dos diamantes” e primordial, pois diamantes são investimentos para toda a vida, devido a sua exclusividade e imponência, além do valor agregado de longa duração.

As opções de escolha de diamantes são infinitas devido as inúmeras combinações possíveis, combinações essas que acarretam diferenças significativas entre os preços dos Diamantes.

Muitos parâmetros são cruciais para a definição do preço final, tais quais, Quilate, Cor, Claridade, Limpeza, Simetria, Proporções, Lapidação entre outros. 

Recomendamos para cada cliente que inicie o processo de compra estipulando um orçamento máximo de quanto pretende investir na jóia, seguindo de ideias sobre o Corte que tem preferência, a partir daí, um de nossos especialistas irão abrir uma rede de possibilidades e opções de Pedras especialmente adequadas a seus desejos, sempre maximizando a melhor escolha e trazendo a você o maior Custo/Benefício do mercado.

O corte mais comercializado e conhecido entre os diamantes, e o Brilhante, que devido a procura, também e o mais caro. Outros cortes como coração, pera, esmeralda, princesa e oval também estão muito em moda no mundo das jóias e podem proporcionar jóias muito bonitas e especiais.

Categories: Educação
Close
Open chat